Please upgrade your browser. An upgraded browser will make your computer safer, and improve your web experience.

DStv.com works best in the latest versions of Internet Explorer,Firefox, or Chrome,

Not now

dstv_cm_saradon

Sarandon teme assassinato do Papa

O 266.º líder da Igreja Católica condenou abertamente a prática de ignorância relativa ao aquecimento global e também se tem revelado extremamente importante no restabelecimento dos laços diplomáticos entre os Estados Unidos e Cuba.

Apesar de o Papa Francisco não se ter desviado dos pilares básicos da religião, os seus pontos de vista mais tolerantes levam a que Susan acredite que a sua vida está em perigo.

"Penso que vão assassiná-lo", disse a atriz ao New York Daily News. “Na minha opinião, ele fez uma grande limpeza em todo o sistema".

Entretanto, a estrela de televisão multimilionária, Donald Trump, está neste momento a concorrer para Presidente dos Estados Unidos, e, de acordo com as sondagens, está muito bem posicionado relativamente aos seus opositores Republicanos. E Susan não se revela chocada com a liderança de Donald, pois acredita que o candidato fala para a grande maioria dos americanos.

"Penso que as pessoas estão mesmo esfomeadas por algo autêntico, apesar de ele não fazer ideia do que está especificamente a falar", explica a atriz. "Ele fala para aquela pessoa que deseja poder dizer: 'Tudo está virado do avesso, estamos cansados da máquina, estamos cansados dos políticos do costume'. Na minha opinião, é ótimo que os Republicanos tenham que pensar muito bem como lidar com ele, é interessante".

Susan tem sido uma ativista durante a maior parte da sua vida e, atualmente, apoia Bernie Sanders para presidente, acreditando que o político, mais liberal, apresenta uma maior probabilidade de ganhar, apesar de alguns críticos pensarem o contrário. "Toda a gente dizia isso do Obama", afirma. É a maneira mais preguiçosa de fazer política, como de costume. Dizer apenas: 'Bem, ele não pode ser eleito'. Penso que ele poderá ser responsável, pelo menos, por algumas palavras inesperadas, nos debates".