Rosamund Pike press shot, upper body

Rosamund Pike acha-se "bem sucedida na arte de perder".

A actriz britânica teve uma temporada de prémios bem agitada à conta do papel de Amy Elliott-Dunne no filme de sucesso "Em Parte Incerta". Foi nomeada para os Óscares, Screen Actors Guild, Globos de Ouro, BAFTA, mas nunca ganhou. Neste domingo, as coisas mudaram, ao vencer o prémio de Melhor Actriz nos Jameson Empire Film Awards. So que, ironicamente, Pike, de 36 anos, não pôde comparecer na cerimónia.

"Nem posso acreditar que a única vez que não posso estar presente numa cerimónia de prémios é quando ganho", comentou num vídeo passado na festa. "Tenho sido tão bem sucedida a perder que não faço ideia do que dizer, agora que venci."

Outros vencedores da noite foram Andy Serkis por "Planeta dos Macacos: A Revolta", a antiga estrela de "Doctor Who" Karen Gillan por "Guardiões da Galáxia" e Ralph Fiennes, que recebeu o prémio Empire Legend.

Apesar das queixas, Rosamund Pike pode muito bem ter ficado contente por não ter podido estar presente até porque já confessou que odeia passadeiras vermelhas.

"É como aqueles vezes em África em que se vê um grupo de zebras a atravessarem águas infestadas de crocodilos", afirmou ao "USA Today". “Há umas que conseguem atravessar. Outras são reduzidas a sangue."

Depois do sucesso de "Em Parte Incerta", a carreira de Rosamund Pike parece ter disparado e é apontada agora como a escolhida para co-protagonizar "The Deep Blue Good-by" com Christian Bale.