dstv.cover-media,pharrel

Pharrell Williams: Michael Jackson era o rei do controlo

Michael Jackson era um génio do controlo de mentes, diz Pharrell Williams.

O cantor de "Happy" esteve duas vezes com o lendário ícone da pop, que morreu em 2009, aos 50 anos. Pharrell diz que o cantor sabia controlar muito bem quem o rodeava.

"Falando sobre controlo de mentes, ele era um génio! Entrei na caravana dele, era uma caravana de dois andares, com escadas!", contou numa promoção do programa "OTHERtone com Pharrell Williams e Scott Vener", que será exibido no domingo nos EUA. "Chega ele, é alto, entram duas lindas mulheres e ele beija uma. É um momento! Não é um beijo rápido, é uma situação. As mulheres parecem ser brasileiras e eu penso: 'Uau! Ele é o rei a apanhar-nos desprevenidos'."

Pharrell ofereceu a Michael Jackson várias canções e, no primeiro encontro, ouviu do rei da pop as razões para ter rejeitado algumas delas. A próxima vez que ouviu falar de Michael Jackson foi já quando estava a gravar um disco com Justin Timberlake.

"Acho que ele não percebeu que eu ia dar aquelas canções ao Justin. Estou no estúdio com o Justin e eles dizem: 'Tens uma chamada na linha um, é o Michael Jackson'", recorda. "Eu pensei que era um dos meus amigos a fazer uma brincadeira. E ouvi alguém a comer pipocas ao meu ouvido, foi assim que soube que era ele. Ele é o rei do controlo, acho que foi ele que o inventou!"

Ao que parece, Michael Jackson estava só a ligar para desejar felicidades à dupla. "Ele disse: 'Estás a trabalhar com o Justin? Isso é muito bom, espero que tenham uma grande sessão, diz ao Justin que eu disse olá'", conta. "E o Justin ficou tipo: 'Quem era? O Michael? Sim, ele faz isso.'"